Assembleia Geral das Nações Unidas

A Assembleia Geral é o órgão das Nações Unidas para onde convergem todos os Estados com as mesmas condições de igualdade, o que leva a dizer que é o órgão democrático das Nações Unidas, tanto pela igualdade dos intervenientes, como pela sua composição . De facto, o grande desenvolvimento do Direito Internacional deve-se às resoluções relevantes emanadas da Assembleia, como a carta de descolonização, os princípios do direito internacional para a cooperação entre os Estados, a Resolução para a paz, entre outros. . 

A Carta de São Francisco dispõe, com relação à Assembleia Geral das Nações Unidas, o seguinte: 

 

Artigo 9

  1. A Assembleia Geral será composta por todos os Membros das Nações Unidas.
  2. Nenhum membro pode ter mais de cinco representantes na Assembleia Geral.
  3.  
Articulo 10

A Assembleia Geral pode discutir quaisquer assuntos ou questões dentro dos limites desta Carta ou que se refiram aos poderes e funções de qualquer um dos órgãos criados por esta Carta, e exceto conforme disposto no Artigo 12, pode fazer recomendações sobre tais assuntos ou perguntas aos Membros das Nações Unidas ou ao Conselho de Segurança ou a este e a eles.

Articulo 11

  1. A Assembleia Geral pode considerar os princípios gerais de cooperação na manutenção da paz e segurança internacionais, incluindo os princípios que regem o desarmamento e a regulamentação de armamentos, e também pode fazer recomendações sobre esses princípios aos Membros ou aos Conselho de Segurança ou este e aqueles.
  2. A Assembleia Geral pode discutir qualquer questão relacionada com a manutenção da paz e segurança internacional que qualquer Membro das Nações Unidas ou do Conselho de Segurança apresente à sua consideração, ou que um Estado que não seja Membro das Nações Unidas apresente de acordo com O artigo 35, parágrafo 2, e exceto conforme disposto no artigo 12, poderá fazer recomendações sobre essas questões ao Estado ou Estados interessados, ao Conselho de Segurança ou a este último. Qualquer assunto dessa natureza com relação ao qual ação é necessária será encaminhado ao Conselho de Segurança pela Assembleia Geral antes ou depois de discutido.
  3. A Assembleia Geral pode chamar a atenção do Conselho de Segurança para situações que podem pôr em perigo a paz e a segurança internacionais.
  4. Os poderes da Assembleia Geral enumerados neste artigo não devem limitar o âmbito geral do artigo 10. 

Articulo 12

  1. Enquanto o Conselho de Segurança estiver desempenhando as funções que lhe são atribuídas por esta Carta com respeito a uma controvérsia ou situação, a Assembleia Geral não fará qualquer recomendação sobre tal controvérsia ou situação, a menos que solicitada pelo Conselho de Segurança.
  2. O Secretário-Geral, com o consentimento do Conselho de Segurança, apresentará um relatório à Assembleia Geral, em cada sessão, sobre todas as questões relacionadas com a manutenção da paz e da segurança internacional com que o Conselho de Segurança possa estar lidando, e também relatará ao Assembléia Geral, ou aos Membros das Nações Unidas, se a Assembléia não estiver reunida, assim que o Conselho de Segurança deixar de discutir tais assuntos.

Articulo 13

  1. A Assembleia Geral promoverá estudos e fará recomendações para os seguintes fins:
    1. promover a cooperação internacional no campo político e promover o desenvolvimento progressivo do direito internacional e sua codificação;
    2. promover a cooperação internacional em questões de natureza econômica, social, cultural, educacional e de saúde e contribuir para a efetivação dos direitos humanos e das liberdades fundamentais para todos, sem fazer qualquer distinção em razão de raça, sexo, língua ou religião.
  2. Os demais poderes, responsabilidades e funções da Assembleia Geral em relação aos assuntos mencionados na subseção b do parágrafo 1 anterior estão listados nos Capítulos IX e X.

Articulo 14

Salvo o disposto no artigo 12, a Assembleia Geral poderá recomendar medidas para a solução pacífica de quaisquer situações, qualquer que seja a sua origem, que a seu juízo possam prejudicar o bem-estar geral ou as relações amistosas entre as nações, incluindo as situações daí resultantes. de uma violação das disposições desta Carta que enunciam os Propósitos e Princípios das Nações Unidas.    

Articulo 15

  1. A Assembleia Geral receberá e considerará os relatórios anuais e especiais do Conselho de Segurança. Esses relatórios incluirão um relato das medidas que o Conselho de Segurança decidiu aplicar ou aplicou para manter a paz e a segurança internacionais.
  2. A Assembleia Geral receberá e apreciará relatórios dos outros órgãos das Nações Unidas.

Articulo 16

A Assembleia Geral desempenhará, no que diz respeito ao regime de tutela internacional, as funções que lhe são atribuídas nos termos dos Capítulos XII e XIII, incluindo a aprovação de acordos de tutela de áreas não designadas como estratégicas.

Articulo 17

  1. A Assembleia Geral examinará e aprovará o orçamento da Organização.
  2. Os membros custearão as despesas da Organização na proporção que for fixada pela Assembleia Geral.
  3. A Assembléia Geral considerará e aprovará os arranjos financeiros e orçamentários que sejam celebrados com as agências especializadas a que se refere o artigo 57 e examinará os orçamentos administrativos dessas agências especializadas a fim de fazer recomendações às agências correspondentes.

Articulo 18

  1. Cada Membro da Assembleia Geral terá um voto. 
  2. As decisões da Assembleia Geral sobre assuntos importantes serão tomadas pelo voto da maioria de dois terços dos membros presentes e votantes. Essas questões incluirão: recomendações relativas à manutenção da paz e segurança internacionais, a eleição dos membros não permanentes do Conselho de Segurança, a eleição dos membros do Conselho Econômico e Social, a eleição dos membros do Conselho de Tutela nos termos da alínea c, parágrafo 1, do artigo 86.º, a admissão de novos membros às Nações Unidas, a suspensão dos direitos e privilégios dos membros, a expulsão de membros, questões relativas ao funcionamento do regime de tutela e questões de orçamento.
  3. As decisões sobre outras questões, incluindo a determinação de categorias adicionais de questões a serem resolvidas por uma maioria de dois terços, serão tomadas pela maioria dos membros presentes e votantes.

Articulo 19

O Membro das Nações Unidas que estiver inadimplente no pagamento de suas contribuições financeiras para as despesas da Organização, não terá direito a voto na Assembleia Geral quando o valor devido for igual ou superior ao total das contribuições devidas nos dois anos anteriores. completo. A Assembleia Geral pode, no entanto, permitir que esse Membro vote, se concluir que o atraso se deve a circunstâncias alheias ao controle do referido Membro.

Articulo 20

A Assembleia Geral reunir-se-á anualmente em sessões ordinárias e, sempre que as circunstâncias o exigirem, em sessões extraordinárias. O Secretário-Geral convocará sessões extraordinárias a pedido do Conselho de Segurança ou da maioria dos Membros das Nações Unidas.

Articulo 21

A Assembleia Geral ditará o seu próprio regulamento e elegerá o seu Presidente para cada sessão.

Articulo 22

A Assembleia Geral poderá estabelecer os órgãos subsidiários que julgar necessários para o desempenho de suas funções.

 

Recursos

AfrikaansArabicChinese (Simplified)DutchEnglishFilipinoFrenchGermanHebrewHindiItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish